Comida

Comer bem que mal tem?

Saiba mais do programa com Flávio Passos
Letícia Genesini
12 de novembro de 2015

Este último sábado estreiou no Canal Sony o programa “Comer bem que mal tem?”. Sempre que grandes mídias vão dar dicas de alimentação e nutrição a gente já fica com um pé atrás, mas a chamada do programa já me pareceu mais interessante.

Lá o apresentador, Flávio Passos (chef, pesquisador e diretor da marca Puravida) dizia que comer gorduras naturais pode sim ser benéfico e que o mais importante é ter uma alimentação pautada em comida de verdade, uma guinada de 180 graus em relação ao discurso tradicional lipofóbico que estimula o consumo de alimentos industrializados “low fat” e “fat free”. Empolgada com a possibilidade, fui assistir!

 

banana_verde

 

No primeiro episódio Flávio falou sobre a importância de buscar ingredientes naturais e não modificados, um discurso lúcido que apresentou tanto os benefícios à saúde quanto ao paladar, uma vez que ingredientes naturais são mais saborosos (a culinária tradicional italiana que nos diga!). Sendo focando em café e cacau, ele também nos passou a receita de um brigadeiro “sem culpa” à base de biomassa de banana verde e doces, uma versão do tiramisú com massa de farinha de nozes e um café turbo (aquele bullet coffee com óleos como o de coco e manteiga).

 

brigadeiros_sem_culpa

 

O nome  brigadeiro “sem culpa” já me causou um ruído porque pra quê associar culpa a qualquer alimento, né gente? Não precisa sentir culpa nem comendo trakinas, é só estar ciente do que é. Mas o fato de quase todas as receitas apresentadas no episódio serem de alimentos doces que recebem adição de açúcar me incomodou um pouco. Creio que tenha sido uma estratégia para se afastar um pouco do programa da Bela Gil e apresentar de cara indulgências, mas mesmo assim, ainda que eu tenha amado brigadeiro e tiramisú, não tirou totalmente meu pé atrás. Além disso, houve uma fala complicada em que Flávio, logo após dizer que o brigadeiro era adoçado com açúcar de coco a gosto, comentou que um doce assim poderia ser comido “à vontade”. Uma vez que numa platéia televisiva você não sabe quem é seu público eu restringiria generalizações como essa, ainda mais falando de um alimento adoçado (aliás, pode me chamar de chata, mas quantidade adequada não deve ser sugerida por ninguém fora de um consultório de nutricionista ou nutróloga).

 

tiramisu

 

Resumo da ópera? Ainda não tenho uma decisão tomada e continuarei assistindo para ver. Certamente acho que há pontos a se melhorar, mas sem dúvidas testarei as receitas e ver na TV um discurso sobre a importância da qualidade dos alimentos foi absolutamente revigorante.

 

Comer bem que mal tem?
Canal Sony
Sábado, às 21h (sábado que vem será a reprise do primeiro episódio)

Receitas e outras informações: site da sony

(Fotos: site da sony)