Moda & Beleza

Banco de Tecido: moda consciente

Conheça a iniciativa sustentável
Letícia Genesini
20 de fevereiro de 2017

Gosta de costurar? Trabalha com teatro? Quer montar aquela roupa bafo para o carnaval? Conheça o Banco de Tecido, uma iniciativa que busca dar uma nova chance a tecidos que iriam para o lixo.

Tudo começou quando a cenógrafa e figurinista Lu Bueno percebeu que após duas décadas de carreira no cinema, teatro e televisão havia acumulado nada menos que 800 quilos de tecidos! Quase uma tonelada, entre esquecidos e aparentemente inutilizados. Assim, ela decidiu não só dar um novo destino para sua coleção pessoal, como propor um novo ciclo para os retalhos que fecham as temporadas e acabam nas casas e oficinas de figurinistas e produtores cênicos paulistanos.

“Damos uma nova vida aos tecidos que passam anos esquecidos ou empoeirando em alguma sacola à espera de uma segunda chance. (…) Aqui você encontra tecido de todo tipo e cheio de história: cenário de uma peça, restos encontrados numa caçamba, sobra de ópera ou de um programa de TV”, conta no site.

DSC_6784

A inovação é o modo de se comercializar — os tecidos são não apenas o produto da loja, mas também a moeda de troca. Como funciona: você pode chegar e simplesmente comprar da seleção disponível, mas se você tem tecidos dando sopa em casa, é só levar pra lá. Chegando, eles são pesados, organizados e higienizados, e você recebe créditos por cada quilo depositado, para sacar em novos tecidos.

“Nós acreditamos que estender o ciclo de vida dos materiais é essencial para o mundo em que vivemos hoje (…) Toneladas de tecidos são descartadas anualmente ao redor do mundo.

São erros de produção, sobras e estoques que acabam virando lixo e contaminando o meio ambiente. 10% de toda produção têxtil vira descarte. Essa sobra fica armazenada por anos em estoques ou vai parar no aterro sanitário. O problema se agrava porque 70% do material produzido no mundo é composto de fibras sintéticas e leva dezenas de anos para se decompor. (…) Trabalhamos para aumentar a vida útil de tecidos que virariam resíduos.”

Curtiu? Claro, você não precisa trabalha com cenografia para se empolgar com a ideia. Como a gente disso, carnaval tá logo aí!

Fotos: bancodetecido.com.br

LUPA
Onde tudo começou. Maior acervo disponível para troca e venda. Contato principal para projetos e parcerias.
Rua Campo Grande, 504, V. Leopoldina
de 2ª a 6ª das 9:30 às 18h
bancodetecido@lupa.art.br
11 4371-3283 (Falar com Andressa Burgos ou Lu Bueno)

Lab Fashion
No primeiro coworking dedicado à moda, alguns tecidos do Banco estão à venda.
R. Dona Antônia de Queirós, 474, Consolação
de 2ª a 6ª das 10h às 18h
contato@labfashion.com.br
11 3467-1747 (Falar com Mariana Watannabe e Giovana Barbieri_